Um relatório divulgado por legisladores democratas nesta terça-feira (1º), apontou que bilhões de dólares do Paycheck Protection Program (PPP), repassados às pequenas empresas para evitar demissões provocadas por perdas na arrecadação durante a pandemia de covid-19 , foi parar nos cofres de empresários que burlaram as regras do programa para solicitar vários empréstimos.

O documento revela que pelo menos $3 bilhões foram concedidos a negócios inelegíveis para fazer contratos com o governo, e outras milhares de transferências foram feitas apesar de apresentarem sérios problemas com justiça do trabalho e outros.

“Os contribuintes não deveriam ter que escolher entre obter ajuda rapidamente para aqueles que precisam e desperdiçar fundos federais. Há medidas simples que poderiam ter sido tomadas para evitar essa situação”, disse James Clyburn, presidente do subcomitê para a crise do coronavírus da Câmara dos Deputados à agência Reuters.

Segundo o parlamentar, a administração Trump deveria ter supervisionado melhor o repasse do dinheiro para evitar fraudes.

Até o último dia 8 de agosto, o PPP havia fornecido empréstimos perdoáveis a mais de 5,2 milhões de empresas por meio da U.S. Small Business Administration (SBA). A SBA ainda não respondeu aos pedidos de explicações dos democratas.

O governo Trump alega que o PPP salvou cerca de 51 milhões de empregos em um momento em que grande parte da economia dos EUA foi paralisada devido ao coronavírus. Economistas dizem que o impacto real é muito menor, provavelmente entre 1 e 14 milhões de empregos.

O orçamento total do PPP aprovado em março para socorrer os pequenos negócios e organizações sem fins lucrativos foi de $349 bilhões.

criação de site