Take a fresh look at your lifestyle.

Pesquisadores encontram mosaico que retrata espias enviados por Moisés, em Israel




Pesquisadores encontram mosaico que retrata espias enviados por Moisés, em Israel

<span style="font-weight: 400"><span style="color: #800000"><strong><a style="color: #800000" href="https://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/maria-madalena-nao-era-prostituta-como-muitos-pensam-esclarecem-pesquisadores.html" target="_blank">Pesquisadores</a></strong></span> encontraram mosaicos em <span style="color: #800000"><strong><a style="color: #800000" href="https://guiame.com.br/gospel/israel/especialista-sobre-israel-diz-que-profecias-estao-se-cumprindo-de-forma-rapida.html" target="_blank">Israel</a></strong></span>, um deles parece retratar os dois espias enviados por Mois&eacute;s para explorar Cana&atilde;. O mosaico retrata dois homens carregando uma vara com um cacho de uvas. Em hebraico est&aacute; inscrito: "Um p&oacute;lo entre os dois".</span>

A Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill anunciou esta semana a descoberta dos mosaicos, na Galiléia. O mosaico dos espias de Moisés parece referir-se ao livro de Números, onde os homens foram enviados para a terra de Canaã após o êxodo do Egito.

De acordo com Números 13:23, os homens “cortaram um ramo com um único cacho de uvas” e voltaram para Moisés. “Entramos na terra para a qual você nos enviou e, na verdade, ela está fluindo com leite e mel”, diz Números 13:27.

Anteriormente, autoridades israelenses e pesquisadores descobriram outros mosaicos, incluindo os que mostram Sansão carregando o portão de Gaza, a Arca de Noé, Jonas sendo engolido por um peixe, a divisão do Mar Vermelho e a construção da Torre de Babel.

“As descobertas indicam que os aldeões floresceram sob o domínio cristão do início do quinto século, contradizendo uma visão generalizada de que o assentamento judaico na região declinou durante esse período”, disse a UNC-Chapel Hill em um comunicado.

Pesquisa

A professora da UNC-Chapel Hill, Jodi Magness, está liderando as equipes de pesquisa. Ela participou de 20 escavações diferentes em Israel e na Grécia. Ela também é presidente do Instituto Arqueológico da América.

“Os mosaicos que decoram o piso da sinagoga Huqoq revolucionam nossa compreensão do judaísmo neste período”, disse ela.

“A arte judaica antiga é muitas vezes considerada carente de imagens. Mas esses mosaicos, coloridos e cheios de cenas figuradas, atestam uma rica cultura visual, assim como o dinamismo e a diversidade do judaísmo nos períodos romano tardio e bizantino”, ressaltou.

Os mosaicos foram removidos do local para conservação e as escavações continuarão no verão de 2019.





Source link

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais