Take a fresh look at your lifestyle.

“Orar em línguas não é para todas as pessoas”, explica pastor




“Orar em línguas não é para todas as pessoas”, explica pastor

<span style="font-weight: 400">[youtube https://www.youtube.com/watch?v=6Y4rkAKKvwQ]</span>

Orar em línguas seria a maior evidência do batismo no Espírito Santo? Os pastores Eduardo Borges e Renata Dolabella falaram sobre o assunto. Sem polêmicas, eles explicaram que há duas vertentes principais que defendem formas diferentes de acreditar. As duas estão presentes tanto em igrejas pentecostais, como a Assembleia de Deus, quanto também nas mais tradicionais como a Presbiteriana.

O pastor Eduardo Borges inicia: “Essa é uma pergunta complexa a se fazer, dependendo da pessoa que está fazendo. E essa pergunta pode gerar para ela um pouco de dificuldade. Nós temos diversas posições relacionadas a esse tema a primeira dica que eu daria para essa pessoa é ela saber o que é sua denominação pensa disso”, disse o pastor em resposta da pergunta feita por um telespectador.

Ele continua: “Existem diversas posições. Alguns cessacionistas e outros não são cessacionistas. Para muitas igrejas pentecostais é fundamental que a pessoa fale em línguas, porque para algumas denominações de linha pentecostal realmente essa é a evidência. Mas de acordo com a minha visão, a Bíblia deixa claro que isso não é para todas as pessoas”, argumenta.

Eduardo explica: “Os cessacionistas são aquelas pessoas que defendem que os dons sobrenaturais ou carismáticos não estão mais presentes na vida da igreja, ou seja, eles cessaram. Línguas, curas e diversas manifestações carismáticas foram importantes para a fundamentação da igreja”, ressalta.

Sobre as correntes, ele ainda fala de uma igreja tradicional, a Presbiteriana. “Na Igreja Presbiteriana do Brasil existem duas correntes. Uma cessacionista e uma outra não cessacionista. Existe os dois lados dentro da IPB. A posição do cessacionista é muito mais histórica do que bíblica e creio que seja fraco por esse motivo”, salientou.

O apresentador Cássio Miranda relata sua surpresa em ver que mesmo nas igrejas pentecostais, muitos cristãos não veem o dom de línguas como a evidência do batismo no Espírito Santo.

“Eu comecei a ficar surpreso, porque para o pentecostal histórico a evidência do batismo no Espírito Santo e orar em línguas e eu comecei a ouvir mais e mais pessoas dizendo que isso não é pré-requisito para se ter o Espírito Santo”, disse ele.

Já a pastora Renata Dolabella complementa: “Coloca em xeque a identidade da pessoa. ‘Eu não sou de Jesus? Não sou salva? Eu não tenho Espírito Santo? Eu fui ou não batizada?’ A gente vê que há uma linha tênue que vai tirar certeza da pessoa daquilo que ela acredita. Então, eu também não acredito que é a evidência, mas que é um dom como qualquer outro que a gente deve buscá-lo. O apóstolo Paulo disse para buscarmos com zelo”.





Source link

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais