Take a fresh look at your lifestyle.

Nigéria pode sofrer represália por não seguir agenda LGBT diz Biden

Biden e a agenda global

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ameaçou aplicar “sanções financeiras” na Nigéria e em outros países africanos que não aderirem a agenda LGBT. No memorando, o democrata afirma que as agências federais devem buscar formas de combater a discriminação.

De acordo com o Daily Post, o governo Biden orienta as agências a “conduzir e expandir esforços para combater a discriminação, homofobia, transfobia e intolerância com base no status ou conduta LGBTQI +”.

O documento promete consequências contra os países que não adotarem as medidas.

Ele diz que os países que estiverem “contribuindo para um clima de intolerância” enfrentarão consequências, “incluindo o uso de toda a gama de ferramentas diplomáticas e de assistência e, conforme apropriado, sanções financeiras, restrições de visto e outras ações”.

Ao discursar sobre o memorando, Biden afirmou que ao forçar a agenda LGBT para outros países estaria restaurando “nossa liderança moral”. “Os Estados Unidos estão na vanguarda dessa luta – falando abertamente e defendendo nossos valores mais queridos”, diz um trecho do memorando.

Entre os países na África que mais correm risco de sofrer sanções, estão aqueles com uma linha mais conversadora e com raízes profundas no Cristianismo, como Nigéria, Uganda e Quênia.

Ainda não está claro se o atual governo da Nigéria cederá à pressão do governo dos Estados Unidos, já que o país tem uma lei que proíbe o reconhecimento do casamento homossexual.

Desde que assumiu o governo, Joe Biden vem impondo ações que beneficiam a agenda LGBT, incluindo a defesa do uso de banheiros por transexuais.

Daily Post

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais