Take a fresh look at your lifestyle.

Hotel em Miami Beach é condenado a pagar $2.5 milhões em indenização para trabalhadores haitianos



O hotel SLS em Miami Beach – localizado próximo no número 1701 da Collins Avenue – foi condenado a pagar $2.5 milhões a lavadores de pratos haitianos, que entraram com processo na Justiça alegando discriminação por raça e nacionalidade. Os ex-funcionários afirmam no processo que foram tratados como ‘escravos’.

Na segunda-feira (30) o U.S. Equal Employment Opportunity Commission (EEOC) informou que o SLS vai pagar a indenização para 17 trabalhadores haitianos que entraram com processo na Justiça em abril de 2017.

O grupo de haitianos alegou que foi dispensado do emprego por causa de sua nacionalidade e raça e que o supervisor os tratava e os chamava de ‘escravos’. Eles argumentam, ainda, que eram criticados por falar o crioulo, língua de origem do país, e que funcionários que falavam espanhol não eram discriminados. O hotel de luxo é operado pelo grupo SBE Entertainment Group baseado em Los Angeles.

O acordo prevê que o hotel dê treinamento para o pessoal de recursos humanos, supervisores e gerentes. Além disso, O EEOC vai fiscalizar todas as demissões dos hotéis da companhia.

“EEOC vai continuar a proteger os trabalhadores da indústria da hotelaria, incluindo a comunidade de haitianos, que é uma força de trabalho importante no Sul da Flórida”, afirma Michael Farrell, diretor do EEOC.

O chefe geral do hotel, James Greeley, disse que a empresa nega o tratamento dispensado aos funcionários, mas aceitou o acordo para que tantos os ex-funcionários quanto o hotel possam seguir em frente. (Com informações do Sunsentinel).



Source link

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais