Take a fresh look at your lifestyle.

Facebook promete remover conteúdo que nega o Holocausto

O Facebook disse na segunda-feira que está abolindo o conteúdo que “nega ou distorce” o Holocausto,.

Marcando uma reversão da polêmica postura do CEO Mark Zuckerberg de dois anos atrás .

O gigante da mídia social disse que a medida “marca mais um passo em nosso esforço para combater o ódio em nossos serviços” e ocorre em meio a um “aumento bem documentado do anti-semitismo.

Globalmente e ao nível alarmante de ignorância sobre o Holocausto, especialmente entre os jovens. “

Durante o Holocausto , perpetrado pela Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial, cerca de 6 milhões de judeus e milhões.

Muitas pessoas são sistematicamente assassinados, incluindo indivíduos LGBTQ e portadores de deficiências físicas.

leia Mais

Estudante anda mais de 18 milhas para chegar em seu primeiro dia de trabalho e ganha carro do CEO

Facebook: livro promete expor casos dos bastidores do Instagram

Elizabeth Warren – Ela pode quebrar o Facebook de Mark Zuckerberg

O Facebook tem sido pressionado por críticos a assumir uma postura mais agressiva contra teorias de conspiração prejudiciais e injustificadas, como a negação do Holocausto e outras informações incorretas que circulam na plataforma. 

A empresa disse no início deste mês que está banindo páginas que promovem o grupo de conspiração extremista QAnon de sua plataforma.

“Eu sou judeu e há um grupo de pessoas que nega que o Holocausto aconteceu”, disse Zuckerberg à jornalista de tecnologia do Recode Kara Swisher na época.

 “Acho isso profundamente ofensivo. Mas, no final do dia, não acredito que nossa plataforma deva derrubar isso porque acho que há coisas que diferentes pessoas erram. Não acho que eles estejam intencionalmente entendendo está errado. “

Em sua conta no Facebook na segunda-feira , Zuckerberg fez alusão a suas declarações anteriores.

“Lutei com a tensão entre defender a liberdade de expressão e os danos causados ​​por minimizar ou negar o horror do Holocausto”, escreveu ele. “Meu próprio pensamento evoluiu à medida que vejo dados que mostram um aumento na violência anti-semita, assim como nossas políticas mais amplas sobre discurso de ódio.

Em um ponto, “muitos” negadores do Holocausto “declarados supremacistas brancos e simpatizantes nazistas”, mas “agora a negação do Holocausto parece ter se tornado mais generalizada”,

De acordo com a Liga Anti-Difamação , que relatou em julho que tal conteúdo “aparece no “Facebook”, incluindo grupos públicos e privados especificamente dedicados ao tópico. “

Usa Today

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: