Take a fresh look at your lifestyle.

Encontro inédito entre Donald Trump e Kim Jong-un entra para história



Pela primeira vez na história um presidente americano aperta as mãos com um líder norte-coreano. Kim e Trump tiveram um encontro privado, uma reunião com seus assessores e um almoço ao lado de suas comitivas, na noite de segunda-feira (11) horário dos EUA, e manhã de terça-feira (12) na Coreia. Ambos os líderes caminharam juntos e se cumprimentaram diversas vezes diante das câmeras.

O encontro dos dois tinha como condição, imposta pelo Estados Unidos, o fim da produção de armas nucleares da parte da Coreia do Norte. No entanto, o documento final da reunião não estabele metas ou detalhes de como o compromisso será colocado em prática.

De acordo com o site do G1, o documento assinado por Trump e Kim nesta terça-feira (12) possui quatro pontos:

  1. EUA e Coreia do Norte de somprometem a estabelecer relações de acordo com o desejo de seus cidadãos pela paz e propesridade.
  2. Os dois países irão unir seus esforços para construit um regime de paz estável e duradouro na península coreana.
  3. Reafirmando a Declaração de Panmunjon (assinado pelas duas Coréias dia 27 de abril deste ano), a Coréia do Norte se compromete a trabalhar em direção à completa desnuclearização da península coreana.
  4. Os EUA e a Coréia do Norte se comprometem a recuperar os corpos de prisioneiros de guerra, incluindo a imediata repatriação daqueles já identificados.

Trump diz que está claro que os dois países estabeleceram uma ligação especial após a assinatura do documento. O presidente americano ainda afirmou, em uma entrevista, que Kim aceitou o seu convite para visitar a Casa Branca.

Mais além, ele diz que a Coreia do Norte “já está destruindo seus principais centros de testes nucleares,” mas que as sanções econômicas, adotadas entre o ano passado e este ano visando pressionar Pyongyang a reduzir seus programas nucleares, serão mantidas por enquanto.

“Eu realmente estou ansioso para retirá-las [as sanções]”, garantiu Trump.

O ditador norte-coreano diz ter enfrentado uma série de obstáculos para que o encontro de fato acontecesse. “Nós superamos todos eles e etamos aqui hoje,” disse a repórteres por meio de um tradutor.

O local escolhido para o encontro foi o hotel Capella, um dos mais renomados da ilha de Sentosa, em Singapura. O país adiquiriu um rigoroso sistema de segurança e restringiu seu espaço aéreo durante os dias 11,12 e 13 deste mês.

A reunião entres os líderes dos Estados Unidos e da Coréia do Norte ocorreu poucos meses após momentos de tensão entre os dois países.

No ano passsado, a Coréia do Norte lançou 23 mísseis em direção aos EUA, e ainda anunciou ter testado um projétil capaz de atingir todo o território americano, segundo a emissora KCTV.

Do outro lado, Trump anunciou sanções contra 56 empresas norte-coreanas, e este também utilizou-se do Twitter para rebater ações e discursos de Kim.

Em contraste, outro encontro histórico ocorreu em abril deste ano, quando uma tentativa de aproximação entre as duas coréias levou seus líderes a se encontrarem para discutir a desnuclearização da península.



Source link

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais