Take a fresh look at your lifestyle.

Canadá nega ajuda a projetos sociais cristãos, mas apoia extremistas islâmicos




Canadá nega ajuda a projetos sociais cristãos, mas apoia extremistas islâmicos

Duas decis&otilde;es recentes do governo canadense est&atilde;o levantando preocupa&ccedil;&otilde;es sobre preconceito o antissemita e anticrist&atilde;o <span style="color: #993300"><strong><a style="color: #993300" href="https://guiame.com.br/gospel/familia/pais-que-discordam-da-ideologia-de-genero-podem-perder-guarda-de-seus-filhos-no-canada.html">no Canad&aacute;</a></strong></span>.

Os cristãos dizem que a insistência do primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, em um “teste de valores” liberal cortou a ajuda do governo às igrejas, mas forneceu ajuda financeira a grupos muçulmanos que se opõem aos Estados Unidos e a Israel.

Candice Bergen, membro do Parlamento do Partido Conservador, desafiou o primeiro-ministro canadense a explicar por que seu governo negou ajuda a igrejas que estão ajudando os desabrigados, mas fornece dinheiro para pelo menos um grupo extremista muçulmano.

Em abril passado, um acampamento bíblico de verão de Alberta perdeu o financiamento do programa Summer Jobs no Canadá porque se recusou a assinar um “teste de valores”, que apoiava o aborto.

Agora, Bergen diz que mais de US$ 20.000 em fundos dos contribuintes foram dados a um grupo muçulmano – o grupo Serviço Humanitário Islâmico – em 2017, e fundos adicionais do programa de empregos para o verão canadense foram concedidos à organização este ano.

Ela disse que o líder do grupo recentemente vomitou o discurso de ódio em um comício do Dia Al Quds em Toronto. “O objetivo era incitar o ódio e foi uma manifestação antissemita contra os judeus”, disse o parlamentar Bergen.

Também passaram a receber o apoio do programa público ‘Canada Summer Jobs’ este ano, estão a Federação Árabe do Canadá e o Centro Islâmico da Anatólia, duas organizações que tiveram o financiamento negado no passado e foram criticadas por abrigarem visões extremistas.

Liberdade religiosa ameaçada
Enquanto isso, em uma decisão 7-2, a Suprema Corte do Canadá negou o credenciamento de uma faculdade de direito de uma universidade cristã, porque a diretoria do curso se negou a apoiar a homossexualidade.

O tribunal disse que é “proporcional e razoável” limitar os direitos religiosos da Universidade ‘Trinity Western’ para garantir acesso aberto dos estudantes LGBT.

O tribunal confirmou o direito das sociedades jurídicas de recusar a acreditação por causa do pacto comunitário obrigatório da instituição cristã que exige um código de conduta estrito, que inclui a abstinência do sexo fora do casamento heterossexual.

Na decisão da maioria, os juristas argumentaram que os estudantes LGBT seriam impedidos de frequentar a faculdade de Direito, se necessário, para assinar tal acordo. Eles também sugeriram que aqueles que assinassem o acordo correriam risco de danos significativos.

A TWU recebeu apelos de ações na Columbia Britânica e Nova Escócia, mas perdeu um recurso em Ontário.

A universidade apresentou pela primeira vez a sua proposta de lei ao Ministro da Educação Avançada do BC em junho de 2012. A aprovação foi concedida em dezembro de 2013 e as sociedades jurídicas de seis províncias canadenses deram sua aprovação, mas a Sociedade Jurídica do Alto Canada rejeitou o credenciamento.

A Sociedade Jurídica da Columbia Britânica posteriormente reverteu sua aprovação em junho de 2014 e, em dezembro de 2014, o Ministro de Educação Avançada do BC revogou o consentimento para o diploma de direito da TWU. Foi quando a TWU entrou com ação legal.

A TWU respondeu à decisão da Suprema Corte do Canadá no site da universidade afirmando: “Até agora, o Canadá encorajou o rico mosaico criado pela diversidade de pontos de vista, raça, gênero e crenças. Infelizmente, a Suprema Corte decidiu que isso não se estende a uma faculdade de Direito na Trinity Western University”.

Um novo vídeo sobre a universidade foi enviado ao site da universidade e ao YouTube, intitulado “Uma oportunidade perdida para os canadenses que buscam acesso à Justiça”. O vídeo descreve a Trinity Western University como uma universidade “dedicada ao desenvolvimento de líderes que cumprem seu compromisso com a justiça, a misericórdia e a esperança”.

Decano da Educação, Allyson Jule explicou: “Muitos de nossos alunos vêm aqui por causa do espírito cristão e um dos princípios-chave da fé cristã é servir aos outros, amar aos outros como a si mesmo”.

O vídeo também apresenta uma estudante muçulmana chamada Haya que diz: “Compartilhamos os mesmos valores. Viver a sua vida não é apenas sobre você. É sobre ajudar todos ao seu redor”.

A TWU explicou que sua meta para a faculdade de direito era educar estudantes de direito sobre caridade e organizações sem fins lucrativos. A universidade cristã afirma em seu site que a “prática da lei é sobre o serviço aos clientes” e se concentra em programas que “preparam as pessoas para ajudar as pessoas que lutam para pagar pelos serviços jurídicos”.

A Trinity Western planejava abrir a faculdade de Direito em setembro de 2019. Agora, após a decisão da Suprema Corte do Canadá, a universidade diz que “continuará buscando oportunidades para servir”.

 





Source link

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais