Take a fresh look at your lifestyle.

Brasileiro é condenado à prisão perpétua por matar a filha em Massachusetts



O brasileiro Walter da Silva, de 47 anos, morador em Danbury (CT), foi sentenciado à prisão perpétua depois de assumir a culpa em ter matado com nove tiros a própria filha em julho de 2016. Conforme o Promotor Público Thomas Quinn III, do Condado de Bristol, o brasileiro admitiu no tribunal ter atirado e matado Sabrina da Silva, de 19 anos, na cidade de New Bedford, Massachusetts. As informações são do canal de TV local 12-WPRI.

Os promotores públicos alegaram que Silva alvejou a filha porque estava aborrecido com o fato de que Sabrina estava envolvida romanticamente com um homem mais velho. “Isso é realmente quase inimaginável que ele matou a própria filha porque estava zangado por ela tê-lo desrespeitado”, disse Thomas, no em que foi lida a sentença.

Silva assumiu a acusação de homicídio em 2º grau como parte do acordo, ele será elegível para liberdade condicional após ter servido 25 anos da sentença. Além disso, ele assumiu a culpa por posse ilegal de arma de fogo e porta uma arma de fogo carregada, detalhou Quinn. Pelo porte ilegal de arma, ele foi condenado a três anos de detenção, a qual ele cumprirá antes de cumprir a prisão perpétua, e pela acusação pelo porte de arma carregada, o réu foi sentenciado a 2 anos de prisão, que serão cumpridos junto à prisão perpétua.

Relembre o caso

O crime aconteceu às 10:10 da noite no estacionamento do conjunto residencial Verdean Gardens, na região sul do centro de New Bedford. O promotor público Bob DiGiantomaso disse ao juiz William Sullivan que Silva confrontou a filha no estacionamento da 9 Bedford St., onde ela morava e retornava para casa depois de ter ido ao supermercado. Eles discutiram rapidamente, quando ele sacou uma pistola 9 mm carregada e a alvejou diversas vezes. Conforme documentos apresentados no tribunal, Sabrina foi atingida 9 vezes.

A jovem tinha medo do pai porque estava namorando um homem muito mais velho que ela e Walter não aprovava o relacionamento, detalhou DiGiantomaso. Além disso, Silva estava aborrecido porque a filha não o havia visitado em Connecticut no Dia dos Pais. O Promotor disse que o réu decidiu “em questão de segundos” matar o “próprio sangue dele porque se sentiu desrespeitado”.

Durante a audiência, Silva parecia resignado enquanto ouvia o intérprete de português traduzir os procedimentos jurídicos. Ele confirmou com a cabeça quando o juiz perguntou-lhe se as alegações dos promotores públicos com relação ao caso eram verdadeiras. “Eu acredito que tudo venha de Deus e tudo que eu estou recebendo vem de Deus”, disse o réu.

Silva foi deportado em 1999 e novamente em 2012, após ser condenado no Condado de Middlesex de agressão com agravantes e uso de arma e tentativa de homicídio com uma faca, quando tentou matar a ex-esposa, Lilian da Silva, mãe de Sabrina.

Kathleen Carrancho disse que a meia-irmã concluiu o Supletivo (GED) e cursava o Bristol County Community College (BCC) para se tornar uma intérprete. Ela era uma “mãe maravilhosa” e a filha sempre pergunta quando Sabrina voltará para casa.



Source link

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais