Uma tragédia que resultou na morte de três pessoas tomou conta do mundo no poker no início do mês. Quando um assassino antes de cometer um assassinato e tirar sua vida gravou um vídeo que foi ao ar

Assassino
O criminoso as vezes é um alguém misterioso

O caso aconteceu no último dia 09, em Marabá, cidade situada a cerca de 500km de Belém, capital do Pará. Segundo a polícia, Raimundo Santos Cabral, conhecido como Kim Brown (à esquerda), dirigiu-se ao H10 Poker Clube e atirou contra Rafael Tarelli Reis (centro), um dos sócios da casa, e(direita),conhecido como Quaresma, que trabalhava no local, antes de tirar a própria vida. Rafael chegou a ser socorrido e levado para uma clínica nas proximidades, mas não resistiu aos ferimentos do revólver calibre 38.

LEIA MAIS

Doutores argentinos opõem-se ao aborto: “somos médicos, não assassinos”

Igreja faz cultos em frente a clínica de aborto nos EUA: “São portões do inferno”

Detento se converte após ouvir a voz de Deus na prisão: “Ele disse que eu era seu filho”

Conforme informações preliminares, a motivação do crime teria sido um desentendimento financeiro entre Kim Brown e os sócios da casa. Sentindo-se prejudicado financeiramente, Kim resolveu matar os antigos sócios após ser desligado do clube.

Um vídeo gravado pelo assassino logo antes dos crimes fornece mais pistas. “Sei que é difícil mas, se estiverem vendo esse vídeo, provavelmente não vou estar mais aqui”, começa o mórbido vídeo deixado pelo assassino e suicida Kim Brown explicando os motivos dos crimes.

Nele, ele relata que foi convidado para fazer parte do H10 Poker Clube com uma porcentagem de 25% dos ganhos. Depois de se sentir excluído ao ter seus ganhos baixados de R$ 16 mil por semana, para apenas R$ 3 mil semanais, quando o justo, segundo ele, seria algo entre R$ 15 e R$ 30 mil por semana, Kim ainda viu outras pessoas se envolvendo no negócio com o clube crescendo para mais unidades, até ser afastado da sociedade.

Araguaia

 

 

 

Facebook Comments
criação de site