Missionários resgatam criança que era obrigada a matar, por extremistas

51




Missionários resgatam criança que era obrigada a matar, por extremistas

<span style="font-weight: 400">"Eu ouvi hist&oacute;rias de rebeldes que matam todos e queimam aldeias inteiras", disse um jovem chamado Jonah, que vive em Uganda. "Ent&atilde;o, quando nosso vizinho gritou: 'Eles est&atilde;o aqui', eu corri e me escondi o dia todo, mas eles ainda me encontraram", ressaltou.</span>

O repórter da CBN News, Dan Reany, disse: “Jonah me contou a incrível história de quando o capturaram e sobre sua libertação do grupo rebelde por meio do Exército de Resistência do Senhor. Ele foi levado cativo com muitos outros meninos quando tinha apenas seis anos”.

Jonah explicou: “Eu era o mais novo entre eles. Caminhamos por dias e depois chegamos à base deles. O comandante me deu um grande bastão e ordenou que eu matasse um homem. Se eu não fizesse isso, eles me matariam. Eu bati nele e bati muito, mas eu era tão pequeno e fraco que ele não morreu. Então eu disse: ‘Apenas me deixe morrer também, eu sou muito jovem para matar este homem’”, compartilhou.

O comandante do LRA reuniu todos os rapazes e disse-lhes para não chorar ou gritar, mas apenas para rir e celebrar o que estava prestes a acontecer. Jonah disse: “Eles fizeram o homem deitar e a gente teve de cortá-lo em pedaços enquanto ele implorava por misericórdia. Havia muito sangue. Meu coração gritou por ele, mas eu me segurei. Perdi todas as minhas boas lembranças e só via loucura ao meu redor”, colocou.

Forçado a lutar pelo LRA, Jonah foi gravemente ferido durante um fogo cruzado. Os soldados perguntaram se ele queria “descansar”. Jonah disse: “Quando eles perguntam isso, quer dizer descansar para sempre. Eu disse: ‘Eu posso andar’. Eu orei e pedi a Deus que me levasse para casa. Eu sabia que estava fora de minhas mãos, eu não podia mais fazer nada”, ressaltou.

Ninguém cuidou de Jonah, então quando sua ferida não cicatrizou, um soldado levou-o para um campo vazio para matá-lo. Mas em vez de atirar nele, o soldado deixou-o ir. “Eu queria chegar o mais longe possível”, disse Jonah. “Eu fiquei em cabanas abandonadas enquanto fugia, e em todos os lugares que fui, sentia muita dor. À noite, eu acordei e ouvi uma voz dizendo: ‘Você tem que continuar indo’. Eu olhei para ver quem falava, mas não havia ninguém. Agora eu sei que foi Deus”, lembra.

Em uma cabana abandonada, Jonah encontrou grãos e alguns fósforos e conseguiu acender fogo. Um exército lutando contra os rebeldes viu a fumaça e cercou a cabana. Quando encontraram Jonah em paz, eles o levaram em segurança. Jonah voltou para sua aldeia, reuniu-se com sua família e se juntou a um Clube da Paz. O clube foi iniciado pela Exile International, um ministério apoiado pela Orphan’s Promise da CBN. Através do Clube da Paz, ele aprendeu sobre o Deus que o salvou.

Jonah disse: “Mesmo antes de conhecer Jesus, Ele já cuidava de mim. Por isso eu entreguei minha vida a Cristo e sei que não há nada que eu tenha fora de Deus. Você não me achou por acaso. Deus te enviou para mim e seu amor e aceitação ajudaram a curar meu coração”.

Dan disse: “Muitas das crianças que vêm para esses clubes de paz são órfãs de guerra ou ex-crianças-soldados. Mas aqui em um ambiente terapêutico elas cantam músicas e brincam. No início, muitas das esquetes que eles colocam têm a ver com violência e guerra, mas com o tempo, elas fazem pequenas peças sobre a escola e seus amigos, porque aqui elas têm a chance de serem crianças novamente”.

Confira a reportagem da CBN News (em inglês):





Source link

Facebook Comments

criação de site