"Jesus deixa de ser suficiente quando adicionamos coisas ao Evangelho", diz pastor

64




"Jesus deixa de ser suficiente quando adicionamos coisas ao Evangelho", diz pastor

<span style="font-weight: 400">O pastor </span><span style="color: #800000"><a style="color: #800000" href="https://guiame.com.br/gospel/videos/pratica-do-jejum-ajuda-nos-livrarmos-de-nossas-mascaras-diz-pastor.html"><strong>Douglas Gon&ccedil;alves</strong></a></span><span style="font-weight: 400">, l&iacute;der do movimento JesusCopy, alertou os crist&atilde;os que colocam seus esfor&ccedil;os pr&oacute;prios como condi&ccedil;&atilde;o para serem salvos e deixam de lado a simplicidade da mensagem do Evangelho. </span>

Para isso, ele se baseou no trecho bíblico de Gálatas 5:1-6, que diz: “De novo declaro a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a cumprir toda a lei. Vocês, que procuram ser justificados pela lei, separaram-se de Cristo; caíram da graça”.

“Talvez isso não faça sentido para você, porque ninguém mandou você ser circuncidado ou cumprir um ritual judaico. Mas nós estamos adicionando coisas ao Evangelho”, avalia o pastor.

Douglas observa que a maioria das pessoas que não se consideram salvas, justificam que não vão para o céu porque não leem a Bíblia todos os dias, não frequentam a igreja todos os domingos ou não fazem todas as coisas corretamente.

“Essas pessoas acreditam que para serem salvas precisam fazer alguma coisa. Elas estão dizendo que Jesus não é suficiente para salvar. É Jesus mais as minhas obras, Jesus mais a minha santidade, Jesus mais meu dízimo, Jesus mais a célula. Só Ele não é suficiente. Paulo estaria chocado, porque temos renunciado ao verdadeiro Evangelho e adicionado mais coisas”, afirma Douglas.

“Há pessoas jejuando não porque são apaixonadas pelo Pai, mas porque querem as coisas do Pai. Há pessoas fazendo campanha de oração porque querem coisas. Há pessoas fazendo teologia para vomitar conhecimento na cara dos outros”, lamenta o pastor.

Com base na parábola do Filho Pródigo, o pastor ainda detectou dois tipos de cristãos, que usam diferentes estratégias para colocar as mãos nas coisas. “Ou eu finjo que Deus não existe, vou para a libertinagem e faço tudo o que quero; ou eu obedeço tudo o que o Pai manda para poder enfiar o dedo na cara Dele e falar: ‘Você me deve uma benção'”.

Douglas também explica que o pecado é uma consequência de não amar a Deus acima de todas as coisas, porém não há como disfarçar o que há dentro do coração.

“Há pessoas fazendo tudo certinho, mas Deus considera suas obras como trapo de imundícia. Ele olha dentro do seu coração, mas você prefere as coisas criadas do que o Criador. Você tem mais prazer em assistir Netflix do que falar com Ele. Você tem mais prazer em jogar no celular do que passar meia hora na presença do Criador. Você tem mais prazer em ler uma revista do que a Palavra”, analisa.

Confira a pregação completa:





Source link

Facebook Comments

criação de site