Índia registrou aumento de 20% no massacre contra cristãos, em 2017

70




Índia registrou aumento de 20% no massacre contra cristãos, em 2017

<span style="font-weight: 400">Em meio ao crescente nacionalismo hindu na &Iacute;ndia, dezenas de l&iacute;deres pediram uma a&ccedil;&atilde;o conjunta para defender a constitui&ccedil;&atilde;o e os direitos fundamentais do pa&iacute;s. "H&aacute; uma grave amea&ccedil;a &agrave; pluralidade", disse o professor Ganesh Narayan Devy, estudioso da diversidade religiosa e lingu&iacute;stica da &Iacute;ndia.</span>

“Estamos vivendo em um momento em que você é questionado sobre a comida que você come, sobre o deus que você cultua e classifica como anti-nacional por expressar uma visão diferente, contrária ao nacionalismo hindu”, disse Devy.

“Eles demonizam e nos atacam: 2017 registrou um aumento de 20% no número de atrocidades contra os cristãos”, disse Tehmina Arora, advogada e diretora do grupo de direitos humanos ADF Índia.

Sobre o status das minorias cristãs, ela acrescentou: “Quando você vai à polícia, eles dificilmente cooperam e muitas vezes se recusam a registrar reclamações. Existe uma cultura crescente de impunidade. Poderíamos apresentar cerca de 25 processos criminais, contra os mais de 240 incidentes relatados no ano”, ressaltou.

Em vez disso, ela disse que qualquer um que seja acusado de converter hindus “será espancado”. “Você pode ser levado para uma delegacia enquanto ora”, acrescentou.

Um pastor que estava comemorando seu aniversário foi recentemente preso e acusado de converter hindus no sul do estado de Karnataka, apesar de não ser um estado que tem uma “lei anticonversão” em vigor.

Tehmina Arora citou a ocorrência de mais de 50 aldeias no estado de Chhattisgarh aprovando resoluções que proíbem a fé cristã logo após o governo do BJP assumir o cargo em 26 de maio de 2014.

“Olhe para a confusão sobre o convite do arcebispo de Delhi para a oração pela nação. As igrejas são para oração e, se os cristãos não podem orar, o que eles podem fazer?”, disse Arora.

A mídia indiana foi tomada por um debate sobre o “patriotismo” dos cristãos depois que o Anil Couto enviou uma carta pastoral a sua comunidade para lançar “a oração pela nação”.

“Estamos testemunhando uma atmosfera política turbulenta, que representa uma ameaça aos princípios democráticos consagrados em nossa constituição e na estrutura secular de nossa nação. É nossa prática consagrada orar pelo nosso país e seus líderes políticos o tempo todo, mas ainda mais quando nos aproximamos das eleições gerais em 2019”, escreveu o arcebispo Couto.

“Vamos iniciar uma campanha de oração pelo nosso país a partir de 13 de maio de 2018”, disse a carta. Algumas das grandes redes de mídia responderam acusando o arcebispo e os cristãos em geral de serem “contra o Modi”.





Source link

Facebook Comments

criação de site