Imigração realiza nova blitz em New Hampshire

79



Autoridades federais realizaram na sexta-feira (15) uma blitz de imigração na Interstate 93 em Woodstock, no norte de New Hampshire – a segunda blitz realizada no estado este ano. O ponto de verificação foi montado pela U.S. Customs and Borders Protection (CBP) e se estendeu por todo final de semana. O número de imigrantes preso não foi divulgado. As informações são do site Patch.com.

A patrulha de fronteira se posicionou no lado sul da I-93, uma das principais rotas para o Canadá, que fica em torno de 100 milhas de distância de Woodstock.

Em maio, as autoridades alfandegárias efetuaram outra blitz de imigração em Woodstock durante o fim de semana do Memorial Day, que rendeu 17 prisões. Os presos não têm status legal de imigração, de acordo com as autoridades.

Seis dos detidos ficaram presos no país, e são de países tais como Brasil, Colômbia, El Salvador, Guatemala, Indonésia, Coréia, México, Montenegro, Ucrânia e Uzbequistão.

Também foram apreendidos óleos de haxixe, além de pequena quantidade de maconha, segundo oficiais.

“As operações do posto de controle são uma ferramenta importante para as nossas leis de imigração e fazem parte da nossa estratégia de defesa”, disse o agente alfandegário Robert Garcia em um comunicado em maio. “Além de tecnologia, mão de obra e inteligência, as batidas ajudam a negar o acesso para as principais rotas de saída da fronteira e às nossas comunidades no interior dos EUA.”

A organização pró-imigrantes União Americana das Liberdades Civis (ACLU) de New Hampshire se opôs aos postos de controle de imigração, embora estivesse ciente de que isto ocorreria neste final de semana.

“Na blitz, todo motorista é parado e questionado sobre seu status imigratório”, informou a ACLU em comunicado. “Os agentes não precisam suspeitar de alguém para sinalizar que um carro pare e fazer perguntas durante a operação, mas suas perguntas devem ser breves e relacionadas com seu status de imigração. Caso encontre um posto de verificação enquanto estiver dirigindo, nunca fuja pois é um crime”, orientou a organização.
ACLU ainda informa que, caso o motorista não esteja confortável em responder as perguntas, ele pode permanecer em silêncio e respondê-las posteriormente com a presença de um advogado.

Em maio, um juiz de New Hampshire declarou que esses postos de patrulha inconstitucionais, mas sua afirmação não fez com que as autoridades federais parassem de realizá-los.

Em agosto de 2017, outra blitz na I-93, em Lincoln, registrou 25 prisões.



Source link

Facebook Comments

criação de site