Canadá nega ajuda a projetos sociais cristãos, mas apoia extremistas islâmicos

74




Canadá nega ajuda a projetos sociais cristãos, mas apoia extremistas islâmicos

Duas decis&otilde;es recentes do governo canadense est&atilde;o levantando preocupa&ccedil;&otilde;es sobre preconceito o antissemita e anticrist&atilde;o <span style="color: #993300"><strong><a style="color: #993300" href="https://guiame.com.br/gospel/familia/pais-que-discordam-da-ideologia-de-genero-podem-perder-guarda-de-seus-filhos-no-canada.html">no Canad&aacute;</a></strong></span>.

Os cristãos dizem que a insistência do primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, em um “teste de valores” liberal cortou a ajuda do governo às igrejas, mas forneceu ajuda financeira a grupos muçulmanos que se opõem aos Estados Unidos e a Israel.

Candice Bergen, membro do Parlamento do Partido Conservador, desafiou o primeiro-ministro canadense a explicar por que seu governo negou ajuda a igrejas que estão ajudando os desabrigados, mas fornece dinheiro para pelo menos um grupo extremista muçulmano.

Em abril passado, um acampamento bíblico de verão de Alberta perdeu o financiamento do programa Summer Jobs no Canadá porque se recusou a assinar um “teste de valores”, que apoiava o aborto.

Agora, Bergen diz que mais de US$ 20.000 em fundos dos contribuintes foram dados a um grupo muçulmano – o grupo Serviço Humanitário Islâmico – em 2017, e fundos adicionais do programa de empregos para o verão canadense foram concedidos à organização este ano.

Ela disse que o líder do grupo recentemente vomitou o discurso de ódio em um comício do Dia Al Quds em Toronto. “O objetivo era incitar o ódio e foi uma manifestação antissemita contra os judeus”, disse o parlamentar Bergen.

Também passaram a receber o apoio do programa público ‘Canada Summer Jobs’ este ano, estão a Federação Árabe do Canadá e o Centro Islâmico da Anatólia, duas organizações que tiveram o financiamento negado no passado e foram criticadas por abrigarem visões extremistas.

Liberdade religiosa ameaçada
Enquanto isso, em uma decisão 7-2, a Suprema Corte do Canadá negou o credenciamento de uma faculdade de direito de uma universidade cristã, porque a diretoria do curso se negou a apoiar a homossexualidade.

O tribunal disse que é “proporcional e razoável” limitar os direitos religiosos da Universidade ‘Trinity Western’ para garantir acesso aberto dos estudantes LGBT.

O tribunal confirmou o direito das sociedades jurídicas de recusar a acreditação por causa do pacto comunitário obrigatório da instituição cristã que exige um código de conduta estrito, que inclui a abstinência do sexo fora do casamento heterossexual.

Na decisão da maioria, os juristas argumentaram que os estudantes LGBT seriam impedidos de frequentar a faculdade de Direito, se necessário, para assinar tal acordo. Eles também sugeriram que aqueles que assinassem o acordo correriam risco de danos significativos.

A TWU recebeu apelos de ações na Columbia Britânica e Nova Escócia, mas perdeu um recurso em Ontário.

A universidade apresentou pela primeira vez a sua proposta de lei ao Ministro da Educação Avançada do BC em junho de 2012. A aprovação foi concedida em dezembro de 2013 e as sociedades jurídicas de seis províncias canadenses deram sua aprovação, mas a Sociedade Jurídica do Alto Canada rejeitou o credenciamento.

A Sociedade Jurídica da Columbia Britânica posteriormente reverteu sua aprovação em junho de 2014 e, em dezembro de 2014, o Ministro de Educação Avançada do BC revogou o consentimento para o diploma de direito da TWU. Foi quando a TWU entrou com ação legal.

A TWU respondeu à decisão da Suprema Corte do Canadá no site da universidade afirmando: “Até agora, o Canadá encorajou o rico mosaico criado pela diversidade de pontos de vista, raça, gênero e crenças. Infelizmente, a Suprema Corte decidiu que isso não se estende a uma faculdade de Direito na Trinity Western University”.

Um novo vídeo sobre a universidade foi enviado ao site da universidade e ao YouTube, intitulado “Uma oportunidade perdida para os canadenses que buscam acesso à Justiça”. O vídeo descreve a Trinity Western University como uma universidade “dedicada ao desenvolvimento de líderes que cumprem seu compromisso com a justiça, a misericórdia e a esperança”.

Decano da Educação, Allyson Jule explicou: “Muitos de nossos alunos vêm aqui por causa do espírito cristão e um dos princípios-chave da fé cristã é servir aos outros, amar aos outros como a si mesmo”.

O vídeo também apresenta uma estudante muçulmana chamada Haya que diz: “Compartilhamos os mesmos valores. Viver a sua vida não é apenas sobre você. É sobre ajudar todos ao seu redor”.

A TWU explicou que sua meta para a faculdade de direito era educar estudantes de direito sobre caridade e organizações sem fins lucrativos. A universidade cristã afirma em seu site que a “prática da lei é sobre o serviço aos clientes” e se concentra em programas que “preparam as pessoas para ajudar as pessoas que lutam para pagar pelos serviços jurídicos”.

A Trinity Western planejava abrir a faculdade de Direito em setembro de 2019. Agora, após a decisão da Suprema Corte do Canadá, a universidade diz que “continuará buscando oportunidades para servir”.

 





Source link

Facebook Comments

criação de site