Assistente é acusado de molestar garota em “summer camp” no sul da Flórida

100
Abuso sexual

 

Um assistente de um acampamento de verãofoi preso na segunda-feira, 13, sob acusações de molestar uma menina que participou do acampamento Live Oak, no Hugh Taylor Birch State Park, em Fort Lauderdale, segundo informações das autoridades de Broward.

De acordo com o relatório da prisão, Christopher Lawrence Falzone, 35 anos, esteve com a vítima em junho enquanto ela frequentava o acampamento e teria tocado em suas partes íntimas mais de 10 vezes, segundo depoimento da criança. A idade da menina foi omitida do relatório de prisão.

A família então relatou o caso à polícia Fort Lauderdale no dia 3 de agosto, depois que a mãe da vítima teria ficado ciente do fato e confirmado com a garota.

Segundo a vítima, Falzone a tocou de maneira inapropriada no acampamento, em viagens de campo e dentro do ônibus na volta dos passeios. Além de molestar, o assistente ainda manteve contato com a menina depois do acampamento.

De acordo com o relatório da polícia, após o acampamento, já em casa, a mãe ouviu a filha ao telefone com alguém que tinha “voz de homem adulto”. A mulher então perguntou à filha se Falzone já havia tocado nela e a menina começou a chorar e disse: “Sim”.

A fim de apurar a denúncia, detetives da polícia de Fort Lauderdale também questionaram a vítima, que disse que Falzone havia colocado as mãos no short dela cerca de 15 vezes e a tocou sobre a calcinha.

Ela disse que às vezes ela se sentiu desconfortável e se afastou dele, o que fez com que ele parasse de tocá-la.

A polícia então revisou as conversas do Facebook Messenger entre Falzone e a garota para confirmar a denúncia, afirmou o relatório da prisão.

De acordo com as autoridades, nas conversas, o assistente também disse à garota que a amava e a convidou para jogar boliche com sua turma do terceiro ano.

No entanto, a menina disse aos detetives que nunca se encontrou com o acusado fora do acampamento.

O relatório da prisão descreveu parte da conversa entre a garota e o assistente pelo Facebook:

A garota teria escrito a ele: “Oi, eu já sinto sua falta”.

Falzone respondeu: “Aww. Eu também sinto sua falta”.

A menina então escreveu: “Eu quero você”. Ele teria então respondido: “Awwww”.

O assistente foi interrogado na última segunda-feira e admitiu ter dito “eu te amo” no ouvido da vítima. Quando questionado sobre o toque, Falzone disse que não se lembrava de ter tocado a garota, mas que também não a desmentiu, afirmou o relatório da prisão.

Falzone foi preso sob acusação de conduta indecente e lasciva com um menor sob fiança de US $ 25 mil na terça-feira, segundo os registros. A informação sobre um advogado não estava disponível.

No entanto, a menina disse aos detetives que nunca se encontrou com o acusado fora do acampamento.

O relatório da prisão descreveu parte da conversa entre a garota e o assistente pelo Facebook:

A garota teria escrito a ele: “Oi, eu já sinto sua falta”.

Falzone respondeu: “Aww. Eu também sinto sua falta”.

A menina então escreveu: “Eu quero você”. Ele teria então respondido: “Awwww”.

O assistente foi interrogado na última segunda-feira e admitiu ter dito “eu te amo” no ouvido da vítima. Quando questionado sobre o toque, Falzone disse que não se lembrava de ter tocado a garota, mas que também não a desmentiu, afirmou o relatório da prisão.

Falzone foi preso sob acusação de conduta indecente e lasciva com um menor sob fiança de US $ 25 mil na terça-feira, segundo os registros. A informação sobre um advogado não estava disponível.

Uma porta-voz das Escolas Públicas do Condado de Broward confirmou que Falzone trabalhou anteriormente como professor substituto do distrito de outubro de 2008 a outubro de 2013. Ele atualmente trabalha na Renaissance Charter School em Cooper City.

Molestar crianças é crime.De acordo com a legislação da Flórida, é contra a a lei manter conduta inapropriada e relações sexuais com menores de 18 anos.

Pelo estatuto da Flórida, o crime de assédio sexual contra crianças com menos de 12 anos prevê prisão perpétua ou de no mínimo 25 anos, e o crime de estupro prevê pena de morte. A lei do estado considera assédio sexual tocar as partes íntimas da vítima ou forçá-la a tocar as partes íntimas do suspeito.

Channel 10

Facebook Comments

criação de site