"A única coisa que eu tinha era a presença de Deus", diz piloto de aeronave que explodiu no ar

31




"A única coisa que eu tinha era a presença de Deus", diz piloto de aeronave que explodiu no ar

<span style="font-weight: 400">Eram 7 horas da manh&atilde; quando Chris estava pegando um voo de teste para o Aeroporto Regional de Brownwood, no Texas (EUA). Ele relata que durante o voo do bimotor, sentiu um pequeno solavanco no banco. Nesse momento, ele ouviu o Esp&iacute;rito Santo dizer: "Voc&ecirc; perdeu o poder".</span>

Chris disse: “Empurrei o acelerador para a frente, para ir com força total e nada. Eu não tinha nada. E o motor ficou quieto”. Chris tentou ligar o motor, mas não ligou. O que ele não sabia era que sua bomba de combustível havia falhado.

“Quando mergulhei para abaixo do horizonte, percebi que ia cair. Então, falei em voz alta: ‘Aqui vamos nós’. E eu estava falando com o Senhor”. O amigo de Chris, Floyd, estava na pista quando viu a explosão no ar.

Floyd lembra: “Estava a pelo menos 500 pés do chão. Uma bola de fogo enorme. Quando comecei a correr em direção ao local do acidente, eu também estava orando e disse: ‘você não está morto, Chris’”.

Uma chamada foi feita e Steven Stone respondeu. Ele lembra: “Nós vimos a fumaça negra subindo. Eu nunca teria dito que alguém sairia vivo dessa”. Chris lembrou: “Quando abri a porta, ouvi o vidro quebrar, foi quando tudo ficou laranja”.

Steven recorda: “Ele estava andando até nós, o que eu achava milagroso. Ele parecia que tinha acabado de sair das chamas”. Chris foi rapidamente transportado para o hospital mais próximo. Ele chamou sua esposa, Dot.

“Ele disse: ‘Eu bati meu avião e não me machuquei muito’. O motorista da ambulância pegou o telefone e disse: ‘Senhorita Hall, Chris está muito machucado’”. Quando Dot correu para o hospital, ela ligou para o filho deles.

Chris conta que em três meses de tratamento conseguiu ficar de pé. (Foto: Reprodução).

Dot diz: “Nós dois estávamos orando para que nenhuma arma forjada contra Chris prosperasse e para que ele vivesse, que tivesse seu corpo totalmente curado”. Quando Dot chegou, os médicos se preparavam para intubar Chris e admiti-lo na UTI.

Dot lembra: “Sua cabeça estava inchada e ele foi queimado, ficou muito mal. Então, ver Chris assim foi muito difícil”. Chris lembra: “Ela disse: ‘Oi, Baby’. E eu estava tão feliz por ela estar lá”. Chris foi estabilizado e descobriu que não havia quebrado nenhum osso ou ferimentos internos.

A preocupação era a quantidade de enxertos de pele necessários para curar as queimaduras de 2º e 3º graus, cobrindo mais de 20% do seu corpo. Dot lembra: “Os médicos me levaram para o corredor e eu perguntei para eles: ‘O que estamos vendo?’, Eles disseram: ‘Você vai ficar aqui por meses’”.

“Eu só pensava ‘Deus é maior do que isso’ E então eu simplesmente saí sozinha pelo corredor e disse: ‘Senhor, você sabe, o que você diz sobre isso?’ E eu senti que Ele falou comigo: ‘Duas semanas. Você ficará aqui por duas semanas’”.

Dot, seus filhos, membros da família e vários amigos próximos oraram pela plena recuperação de Chris. Dot diz: “Nós colocamos nossas mãos em Chris na UTI e declaramos sua cura”. Chris lembra: “Foi ótimo ter pessoas concordando em oração. Eu estava deitado e a única coisa que eu tinha era a presença de Deus. Eu não tinha mais nada”, ressaltou.

Após duas semanas, os médicos permitiram que Chris saísse. Dot relembra: “Foi incrível para mim saber que Deus havia ouvido minhas orações”. Após três meses de tratamento, Chris estava de pé novamente. Hoje, ele e sua esposa Dot ministram em igrejas de todo o país e compartilham sua história de oração respondida.

Dot diz: “Não há nada que Chris não possa fazer hoje que ele sempre foi capaz de fazer”. Floyd explica: “Não há dúvida de que a mão de Deus estava em Chris”. Chris diz: “Acredite em Deus antes da dificuldade. Não espere até que algo como isso aconteça para fazer você acreditar”, finalizou.

Confira o testemunho na íntegra (em inglês):





Source link

Facebook Comments

criação de site